Artigos

Obesidade e Qualidade de Vida

               Quando falamos em qualidade de vida, fundamentalmente, falamos de saúde: perfeito bem estar físico – emocional – social.

                Tudo que de uma maneira ou outra interferir nesses tópicos estará interferindo na qualidade de vida do indivíduo.

                No mundo atual, um dos fatores que mais está preocupando os nossos governantes devido o seu alto custo para o controle e seu índice elevado de mortalidade é a obesidade.

                A obesidade é uma doença crônica, recidivante, muitas vezes incurável que tem como causa inúmeros fatores. Caracterizada por um acúmulo anormal de gordura no organismo sob influência de fatores genéticos, sexo, idade, ocupação, dieta, etc. Devido sua elevada associação com as doenças e maior risco de morte, hoje é considerado um problema de saúde pública.

                 A nível mundial, a obesidade já é considerada uma epidemia. No Brasil, estima-se que 25 a 30% de sua população adulta já esteja obesa. Calcula-se que nos próximos 15 anos, 80% da população dos Estados Unidos seja obesa.

                Como a obesidade é dependente de hábitos e comportamentos, sabe-se que o ganho de peso de um indivíduo influencia o ganho de peso dos que o cercam. Uma pessoa que tem um amigo próximo obeso, tem 57% de chance de ficar obeso. Se for familiar direto (pai/mãe), a probabilidade aumenta para 17%. Imagine isso na população geral e o quanto vai representar para o país em termos de problemas de doença.

                A obesidade tem graus diversos. De modo geral, diz-se que o indivíduo é obeso se seu IMC (Índice de Massa Corpórea) for maior que 30.

                  PESO

                               IMC =        -----------------------------

            ALTURA  X  ALTURA

                Além do problema estético a obesidade é a responsável pelo aumento da incidência de uma série de doenças. Cerca de 1/3 dos diabéticos tem sua doença desencadeada pela obesidade. Dos obesos, 40% desenvolvem Hipertensão Arterial e 90% dos obesos sofrem de depressão. Além dessas alterações, inúmeras outras ocorrem relacionadas com a obesidade, como: câncer de mama, câncer de intestino, arterioesclerose, infarto do miocárdio, derrames cerebrais, problemas circulatórios, ortopédicos, digestivos entre outros. Tudo isso mostra o quanto a doença obesidade interfere em nossa qualidade de vida. Sem dúvidas a obesidade hoje é responsável por uma porcentagem grande dos óbitos no mundo. Só não chama mais atenção porque não se diz que morreu de obesidade e sim por uma de suas complicações. No início o obeso preocupa-se com sua doença devido à estética. Com o tempo ele observa dentre seus conhecidos obesos um número muito acentuado de mortes ou seqüelas devido complicações da obesidade.

                O tratamento da obesidade tanto clínico como cirúrgico visa a redução dessas complicações oferecendo uma melhor qualidade de vida ao obeso.

                O obeso mórbido (IMC maior que 35) quando operado tem uma cura de diabetes tipo 2 em 90% dos casos. A Apnéia do sono e a Hipertensão arterial curam em 90 a 95% das cirurgias e mais que 70% dos obesos tratados melhoram sua auto estima.

                Para se atingir uma melhor qualidade de vida com o controle da obesidade, além do segmento médico, a pessoa de ter: educação nutricional, atividade física regular, apoio psicológico, suporte familiar e principalmente uma mudança comportamental radical.

                Os números mundiais são alarmantes quanto a relação obesidade x qualidade de vida. Alguns desses dados nós podemos citar para que o leitor possa meditar:

                - Número de mortes anuais nos EUA devido a obesidade diretamente = 300 mil;

                - O obeso mórbido tem 3 vezes mais risco de morte que a população normal;

                - Mais de 80% dos diabéticos são obesos;

                - Dores articulares e apnéia do sono ocorrem em 70% dos obesos;

                - As doenças cardiovasculares em 70% dos casos são causadas por obesidade;

                - 75% dos hipertensos são devidos à obesidade;

                - 50% dos cânceres de mama ocorrem em mulheres obesas;

                - 42% dos cânceres de intestino ocorrem em pessoas obesas;

                - Cerca de 80% dos obesos tem depressão.

                Todos estes dados assim como muitas outras doenças tem relação direta com a obesidade e consequentemente com a piora do bem estar.

                É imperioso que se busque desde a idade escolar uma conscientização para as nossas crianças. Precisamos mostrar-lhes os riscos do sedentarismo, da alimentação sem qualidade e principalmente orientá-los na mudança do comportamento. Se isso não ocorrer, em breve teremos um mundo com a maioria de obesos, cada vez mais doentes e com um mínimo de qualidade de vida.









PARCEIROS